Vulcão na Islândia entra em erupção pela 4ª vez em três meses Desastres naturais: como a Islândia es

广告位火热招租中

Vulcão entra em erupção pela quarta vez em três meses na Islândia

REIKJAVIK - Um vulcão entrou em erupção no sudoeste da Islândia pela quarta vez em três meses. A lava em direção à cidade de Grindavik levou as autoridades a desocupar o popular resort termal Blue Lagoon, em meio a avisos de emergência.

PUBLICIDADE

O início da erupção

A erupção entre as montanhas Hagafell e Stora Skogfell na Península de Reykjanes começou no sábado, 16, à noite, de acordo com o Escritório Meteorológico da Islândia. Rapidamente uma fissura de quase 3km de comprimento se formou no solo, disse o escritório.

A magnitude do evento

A lava ainda estava fluindo no início de domingo, e imagens da erupção estavam sendo transmitidas ao vivo pela RUV, a emissora nacional da Islândia.

Possíveis impactos e medidas de segurança

Não havia informações imediatamente disponíveis sobre a escala de danos ou possíveis vítimas. O Escritório Meteorológico da Islândia não pôde ser contatado imediatamente para comentar no domingo.

Leia mais

  • Islândia, mesmo com vulcões e custo de vida alto, atrai brasileiros por salário de mais de R$ 15 mil

  • Vulcão na Islândia entra em erupção pela terceira vez desde dezembro — isso é normal?

No início de domingo, a lava estava fluindo em direção ao sul e sudeste a uma velocidade de cerca de 1km/h, disse o Escritório Meteorológico. Se esse ritmo continuar, disseram a lava poderia chegar ao oceano — o que pode causar vapor e, em alguns casos, explosões de fragmentos de lava que podem ser perigosos para qualquer pessoa nas proximidades. Fumaça e tons laranja podiam ser vistos da capital islandesa, Reykjavik, de acordo com fotos.

Publicidade

Devido aos volumes de magma se acumulando no subsolo, houve pouco aviso da erupção no sábado antes de ela ocorrer, disse o Escritório Meteorológico.

Uma vez que o alerta foi emitido, as autoridades passaram a desocupar as pessoas da área, de acordo com a mídia local, incluindo o Blue Lagoon, uma das atrações turísticas mais populares do país.

Grindavik, uma cidade com quase 4 mil habitantes que foi desocupada antes da primeira erupção do vulcão em dezembro, também foi esvaziada de qualquer residente que tenha retornado, relatou a Associated Press. Um vídeo da Reuters mostrou os clientes deixando o Blue Lagoon enquanto sirenes tocavam para avisar sobre a erupção do vulcão.

Abby Garcia, que estava no resort Blue Lagoon com amigos no sábado, disse à Reuters que confundiu o “brilho vermelho intenso no céu” com um pôr do sol. Garcia disse que ela e seus amigos foram rapidamente retirados da piscina e colocados em um ônibus. Outra testemunha, Melissa Ezair, disse à Reuters que tudo ocorreu tranquilamente e que ela “não estava com medo”.

“Algumas pessoas dirigiram carros, enquanto outras pegaram o ônibus para a cidade. Ninguém parecia fora de controle ou chorando ou algo assim. (..) Eles cuidaram para garantir que todos saíssemos bem”, disse Ezair.

Fotos da Guarda Costeira Islandesa mostraram a vista de um voo de vigilância sobre a nova fissura.

O aeroporto mais próximo, Keflavik International, permaneceu aberto no domingo, e os voos não foram interrompidos. A RUV disse que esta erupção não estava gerando cinzas — ao contrário da erupção de 2010 do vulcão Eyjafjallajokull, que interrompeu o tráfego aéreo em toda a Europa.

Como relatado pelo The Washington Post, essa erupção explosiva demonstrou vividamente o que acontece quando lava quente encontra água gelada congelante. Conhecida como erupção freática, a rocha derretida — magma — entrou em contato com gelo e água derretida e se transformou em vapor. Mas o sistema vulcânico na Península de Reykjanes está longe dos glaciares da Islândia./THE WASHINGTON POST

Interaja conosco nos comentários e compartilhe este artigo nas redes sociais. Agradecemos por ler!


Por /


广告位火热招租中