Título 1: Cena de funcionários retirando água de área alagada com pás Título 2: Esclarecimento: Loca

广告位火热招租中
Funcionários removem água alagada de área industrial de Durban na África do Sul Um vídeo que circula nas redes sociais mostra funcionários de um porto improvisando uma forma de remover água que se acumulou em uma área industrial na África do Sul. O vídeo foi postado por um usuário do WhatsApp com um texto enganoso afirmando que se tratava de uma ação da prefeitura da Bahia para o desobstrução das vias públicas após fortes chuvas. Porém, o Estadão Verifica investigou a procedência do vídeo e constatou que ele não foi gravado na Bahia, mas sim na África do Sul. Isso pode ser confirmado pelo áudio da versão original do vídeo que foi suprimido na postagem enganosa, e pelo nome da empresa que aparece no uniforme de um dos funcionários filmados. O vídeo deve ter sido gravado há pelo menos cinco meses, visto que há postagens antigas compartilhando o vídeo na internet. A busca reversa pelo vídeo levou à versão original que contém o áudio, onde é possível ouvir uma voz o descrevendo a cena e afirmando que o local é na África do Sul. Além disso, é possível ler no uniforme de um dos funcionários a palavra “Zikhethele”, que pode ser utilizada para se chegar à informação da empresa Zikhethele Terminal Services, que opera no porto de Durban na África do Sul. Assim, é correto afirmar que o vídeo é enganoso e não tem relação com a Bahia e com as chuvas ocorridas na região.

O que os fatos mostram sobre o vídeo enganoso?

Como já foi dito, o vídeo enganoso não foi gravado na Bahia, mas sim na África do Sul. Ele vem sendo compartilhado nas redes sociais com informações falsas, o que pode gerar confusão e desinformação.

Quais são as evidências que comprovam que o vídeo não é da Bahia?

O áudio da versão original do vídeo que foi suprimido na postagem enganosa, e o nome da empresa que aparece no uniforme de um dos funcionários filmados, são evidências que comprovam que o vídeo não foi gravado na Bahia. Além disso, é possível ler no uniforme de um dos funcionários a palavra “Zikhethele”, que pode ser utilizada para se chegar à informação da empresa Zikhethele Terminal Services, que opera no porto de Durban na África do Sul.

Por que o vídeo enganoso pode ser prejudicial?

O vídeo enganoso pode gerar confusão e desinformação acerca das chuvas ocorridas na Bahia, criando uma sensação de que a prefeitura da região não tomou as medidas necessárias para resolver a situação. Isso pode gerar desconfiança na população e nos órgãos públicos, além de disseminar informações falsas.

Como evitar compartilhar notícias enganosas?

É importante sempre verificar a procedência das informações antes de compartilhá-las nas redes sociais. Para isso, é possível fazer uma busca reversa de imagem, checar a fonte das informações, procurar outras fontes confiáveis e desconfiar de informações que parecem sensacionais demais.

Também é importante lembrar que fazer a disseminação de informações enganosas é uma prática perigosa, que pode ter graves consequências para a sociedade. Por isso, é fundamental ser crítico e questionar sempre aquilo que recebemos em nossas redes sociais.

E aí, gostou do artigo?

Esperamos ter esclarecido as dúvidas acerca do vídeo enganoso que vem sendo compartilhado nas redes sociais. Se você gostou do artigo, deixe seu comentário abaixo, siga-nos nas nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos!

E não se esqueça de verificar sempre a procedência das informações antes de compartilhá-las nas redes sociais, ok? Estamos juntos na luta contra as fake news!

Imagens utilizadas: https://source.unsplash.com/600x337/?south-africa


Por /


广告位火热招租中