Investimento em Fiagros: Crescimento de 10x mais que renda fixa e variável em 2023

广告位火热招租中
Os Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (Fiagro) apresentaram um crescimento de 103% em 2023, alcançando um patrimônio líquido de R$ 21,3 bilhões. Esse avanço é quase dez vezes maior do que os mercados de renda fixa, renda variável e fundos de investimento, que avançaram em média 11,2% no período, segundo dados divulgados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta segunda-feira (1). Se considerados os sete fundos de investimentos em participações (FIP) que migraram para a categoria Fiagro-FIP, o patrimônio líquido superou os R$ 38 bilhões. Esses dados consideram as regras provisórias para o produto, criadas em 2021. A autarquia permitiu a constituição de três tipos de Fiagro: imobiliário, de direitos creditórios e de participações, cada um deles seguindo as regras dos respectivos fundos (FIIs, FIDCs ou FIPs). Cada vez mais, o agronegócio tem se consolidado como um setor-chave na economia brasileira. O presidente da CVM, João Pedro Nascimento, afirmou em nota que "nosso objetivo é aperfeiçoar e modernizar cada vez mais a indústria dos Fiagro, em reconhecimento à relevância do segmento do agronegócio para desenvolvimento econômico de nosso país". Isso demonstra que o desenvolvimento da indústria dos Fiagro e do agronegócio como um todo pode ser a chave para impulsionar a economia do Brasil nos próximos anos. Ainda segundo o Boletim CVM Agro, da Superintendência de Securitização e Agronegócio da CVM, o Fiagro-FII (imobiliário) representa 50% dos 97 Fiagro operacionais. Os certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio (CRI e CRA) são os principais ativos investidos pelos Fiagro, representando 55% do total, seguidos de imóveis (16%) e direitos creditórios (15%). Para entender melhor o cenário, é importante destacar que o mercado de CRA cresceu 35,8% em 2023, alcançando R$ 130 bilhões. Deste total, 87% dos recursos captados são destinados ao financiamento de produtos agropecuários dentro da porteira. Além disso, os produtores rurais são os principais captadores de recursos entre os diferentes participantes da cadeia agroindustrial, representando 45% do total. As debêntures são os instrumentos mais utilizados como lastro na estruturação dos CRAs (R$ 49,7 bilhões) e representaram 38% do estoque, seguidas de direitos creditórios (31%), CDCA (10%) e Cédula de Produto Rural (CPR) (8%). É evidente que o potencial do agronegócio é enorme no Brasil, e a tendência é que esse setor cresça cada vez mais. Até o final de 2024, a CVM deverá lançar uma resolução definitiva para o produto. Essa resolução deverá incluir a criação do Fiagro multimercado. Isso demonstra que o governo está comprometido em apoiar o agronegócio e contribuir para o desenvolvimento da economia nacional.

Fiagro: um olhar sobre a evolução do setor

Desde a criação das regras provisórias para os Fiagro, em 2021, o setor tem evoluído consideravelmente. O crescimento de 103% em 2023, por exemplo, é uma prova disso. Mas como podemos explicar esse crescimento? Uma das explicações pode estar no aumento da demanda. O agronegócio é um dos setores mais fortes da economia brasileira, tanto no mercado interno quanto no externo. Tendo em vista que os investimentos em Fiagro estão concentrados no financiamento da cadeia agroindustrial, é natural que haja uma demanda crescente por esse tipo de investimento. Outro fator importante a considerar é a flexibilidade do produto. Com três tipos diferentes de Fiagro, é possível que investidores encontrem opções que se enquadrem aos seus objetivos. Além disso, as regras em vigor permitem que investidores tanto pessoa física quanto pessoa jurídica possam investir em Fiagro, o que amplia o público e, por consequência, o potencial de crescimento do setor.

Fiagro multimercado e perspectivas futuras

Uma das perspectivas futuras mais importantes é a criação do Fiagro multimercado. Previsto para ser lançado em 2024, esse fundo deverá permitir que investidores realizem diversificação em diferentes tipos de ativos. Em outras palavras, será possível investir em diferentes cadeias produtivas agroindustriais, ampliando ainda mais o público-alvo do produto. Outra perspectiva importante é que, com a evolução do setor, é possível que surjam novos tipos de Fiagro no futuro. Isso pode contribuir ainda mais para o desenvolvimento do agronegócio, tornando-o cada vez mais forte e competitivo no mercado internacional.

Conclusão

Os dados divulgados pela Comissão de Valores Mobiliários demonstram que o Fiagro é uma opção de investimento cada vez mais atrativa para os investidores brasileiros. Com um crescimento de 103% em 2023, o produto superou os mercados de renda fixa, renda variável e fundos de investimento. Isso mostra que o agronegócio tem um grande potencial de investimento e que, cada vez mais, o setor está se consolidando como essencial para o desenvolvimento da economia do país. Ao considerar as perspectivas futuras, é possível afirmar que o Fiagro ainda tem muito a crescer. A criação do Fiagro multimercado em 2024 pode ampliar ainda mais o público do produto, assim como a possibilidade de surgirem novos tipos de Fiagro no futuro. Por isso, é importante seguir de perto a evolução desse mercado e as novidades que surgem nele.

Fonte das imagens utilizadas neste artigo: Unsplash

Nós queremos saber a sua opinião sobre a evolução do Fiagro no Brasil. Você acredita que esse setor tem um grande potencial de crescimento? Deixe o seu comentário abaixo e compartilhe a sua opinião conosco!

Lembre-se também de seguir as nossas redes sociais para ficar sempre atualizado sobre as últimas notícias do mercado financeiro.

Se você gostou deste artigo, não se esqueça de deixar um like e compartilhar com os seus amigos. Sua ajuda é fundamental para que possamos produzir sempre mais conteúdo de qualidade.

Por fim, agradecemos a sua leitura e esperamos você em nosso próximo artigo!


Por /Juliana Schincariol


广告位火热招租中