"Netanyahu promete 'colocar fim' ao trabalho da Al Jazeera após aprovação de lei em I

广告位火热招租中
O governo de Israel, liderado pelo primeiro-ministro Binyamin Netanyahu, comprometeu-se a encerrar as operações da emissora Al Jazeera em Israel. O premiê chamou o veículo de um "canal de terror" que espalha incitamento. Isso ocorreu depois que o parlamento israelense aprovou uma lei que permite proibir a veiculação de conteúdos de canais estrangeiros que ameacem a segurança do Estado. A nova legislação também abriria caminho para o fechamento do jornal. A rede Al Jazeera condenou a alegação de incitação de Netanyahu como uma "mentira perigosa e ridícula". A Al Jazeera media network, proprietária da emissora Al Jazeera, é financiada pelo Governo do Catar. É um dos poucos veículos internacionais que permaneceu em Israel durante a guerra contra o grupo terrorista Hamas. Israel mantém um relacionamento difícil com a rede, acusando-a de preconceito contra o país. A Al Jazeera já foi fechada ou bloqueada por outros governos do Oriente Médio, incluindo Arábia Saudita, Jordânia, Emirados Árabes Unidos e Egito. Em Washington, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que nem sempre concorda com a cobertura da Al Jazeera, mas respeita seu trabalho e apoia a imprensa livre e independente em qualquer lugar do mundo.

As acusações de Israel contra a Al Jazeera

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, acusa a rede de incitação, enquanto o ministro das Comunicações de Israel, Shlomo Karhi, acusa a emissora de atuar como um "braço de propaganda do Hamas" e de "incentivar a luta armada contra Israel".

A resposta da Al Jazeera

A Al Jazeera condenou a alegação de incitação de Netanyahu como uma "mentira perigosa e ridícula". A rede afirmou que responsabiliza Netanyahu pela segurança dos seus funcionários e escritórios. Ela continuaria sua cobertura ousada e profissional e "se reserva o direito de prosseguir com todas as medidas legais".

Apoio dos EUA à imprensa livre

O Departamento de Estado dos EUA afirmou que apoia a imprensa livre e independente em qualquer lugar do mundo, incluindo a Al Jazeera. Embora nem sempre concorde com a cobertura do veículo, valoriza o trabalho que os seus repórteres realizam em todo o mundo, inclusive durante conflitos como a guerra em Gaza.

Em relação ao fim das atividades da Al Jazeera em Israel, a rede não divulgou uma declaração oficial até o momento.

Notícias israelenses
Fonte: Unsplash API
Jornalismo
Fonte: Unsplash API

Em resumo, o governo israelense liderado por Binyamin Netanyahu prometeu encerrar as operações da emissora Al Jazeera em Israel, acusando-a de ser um "canal de terror" que espalha incitação. A nova legislação aprovada pelo parlamento de Israel permite proibir a veiculação de conteúdos de canais estrangeiros que ameacem a segurança do Estado. A rede Al Jazeera condenou a alegação de incitação de Netanyahu como uma "mentira perigosa e ridícula". A Al Jazeera já foi fechada ou bloqueada por outros governos do Oriente Médio, incluindo Arábia Saudita, Jordânia, Emirados Árabes Unidos e Egito. Embora o Departamento de Estado dos EUA nem sempre concorde com a cobertura da Al Jazeera, ele apoia a imprensa livre e independente em qualquer lugar do mundo, incluindo a Al Jazeera.

Qual é a posição dos outros veículos de comunicação sobre essa situação? A proibição da Al Jazeera pode prejudicar a imprensa livre em Israel? Deixe suas opiniões e sugestões nos comentários abaixo. Siga-nos para mais notícias e atualizações.

Agradecemos por acompanhar a notícia até aqui. Gostou do conteúdo? Deixe seu like e siga-nos nas redes sociais para receber atualizações diárias.


Por /


广告位火热招租中