Lenda cubana do vôlei recorda briga com brasileiras e cita torcida por Márcia Fu em ‘A Fazenda’ Entr

广告位火热招租中
Mireya Luis, lenda do vôlei de Cuba e considerada uma das melhores jogadoras de todos os tempos, esteve recentemente no Brasil para participar de palestras e atividades na 29ª edição do Sesc Verão 2024. Tricampeã olímpica e bicampeã mundial, a ex-atleta de 56 anos falou ao Estadão sobre sua trajetória vitoriosa nas quadras, a crise do esporte cubano, a histórica "peleja" com a seleção brasileira na semifinal das Olimpíadas de Atlanta, nos Estados Unidos, em 1996, e a sua expectativa para os Jogos de Paris. Mireya Luis compensou a sua baixa estatura para a modalidade (1,75 m) com grande vigor físico. Na função de ponteira, se destacou pelos saltos que chegavam a um metro do chão e por ataques potentes, a cerca de 3,35 metros, praticamente indefensáveis. Natural de Camaguey, uma das maiores cidades da ilha caribenha, ela começou a praticar esportes aos dez anos e o contato com o vôlei foi por influência da irmã. A surpreendente altura que a pequena cubana atingiu nos saltos, mesmo com pouca altura, rendeu inúmeras vitórias para a seleção cubana. A primeira medalha de ouro de Mireya com a seleção cubana veio em 1983, nos Jogos Pan-Americanos de Caracas, com apenas 16 anos. Foi o início de uma era vitoriosa para o país, que se tornou referência na modalidade e abocanhou diversos títulos, incluindo o tetracampeonato consecutivo do torneio sul-americano. A ex-jogadora atribui grande parte do sucesso da equipe cubana ao incentivo ao esporte na educação pública de Cuba, sob o comando de Fidel Castro. Mireya garante que o apoio total do governo permitiu que a equipe conquistasse tantas medalhas. No entanto, a grave crise econômica vivida por Cuba nos últimos anos provocou um êxodo em massa da ilha caribenha, especialmente de jovens. Mireya Luis atualmente integra o Comitê Olímpico Internacional (COI) e atua no desenvolvimento do vôlei de praia da Federação Cubana. Ela lamenta a ausência do vôlei de Cuba na Olimpíada de Paris e acredita que as equipes de vôlei são bastante parelhas, como a Turquia, Sérvia, Rússia, China, Estados Unidos e, claro, o Brasil. Houve um duelo emblemático entre brasileiras e cubanas na semifinal da Olimpíada de Atlanta, que ficou marcada por provocações, provocando uma crescente rivalidade entre as equipes. A partida teve uma grande tensão entre as jogadoras, que foram às vias de fato quando estavam longe das câmeras. Mireya Luis protagonizou inúmeros confrontos com o Brasil, que considera um dos adversários mais difíceis que já enfrentou. Ela afirma que as jogoaras brasileiras são suas irmãs de luta e sente muito orgulho disso. A agenda da ex-jogadora no Brasil inclui palestras e atividades em algumas cidades. A cubana participará de mais três datas da programação do Sesc Verão 2024.

Imagem de Cuba

Como a baixa estatura de Mireya Luis foi compensada na quadra?

Mireya Luis, com apenas 1,75 m de altura, compensou a sua baixa estatura para a modalidade com grande vigor físico. Ela se destacou pelos saltos que chegavam a um metro do chão, alcançando uma altura incrível para alguém de sua altura, e pelos seus ataques potentes, que chegavam a cerca de 3,35 metros, praticamente indefensáveis. Natural de Camaguey, na ilha caribenha de Cuba, começou a praticar esportes aos dez anos e o contato com o vôlei foi por influência da irmã.

Imagem de vôlei

Por que Cuba se tornou referência no vôlei com tantas vitórias?

A ex-jogadora atribui grande parte do sucesso da equipe cubana ao incentivo ao esporte na educação pública de Cuba sob o comando de Fidel Castro. Mireya garante que o apoio total do governo permitiu que a equipe conquistasse tantas medalhas. Entretanto, a grave crise econômica vivida por Cuba nos últimos anos provocou um êxodo em massa da ilha caribenha, especialmente de jovens.

Imagem de Fidel Castro

Qual a expectativa de Mireya Luis para os Jogos de Paris?

Mireya Luis lamenta a ausência do vôlei de Cuba na Olimpíada de Paris e acredita que as equipes de vôlei são bastante parelhas, como a Turquia, Sérvia, Rússia, China, Estados Unidos e, claro, o Brasil. A ex-jogadora prefere não se "adiantar" a escolher qual equipe tem mais chance de levar a medalha de ouro.

Imagem de Paris

Como foi o duelo entre brasileiras e cubanas na semifinal da Olimpíada de Atlanta?

Houve um duelo emblemático entre brasileiras e cubanas na semifinal da Olimpíada de Atlanta, que ficou marcada por provocações, provocando uma crescente rivalidade entre as equipes. A partida teve uma grande tensão entre as jogadoras, que foram às vias de fato quando estavam longe das câmeras. Apesar da tensão naquele momento, Mireya afirma que mantém a mesma amizade, respeito e carinho que sempre sentiu pelas brasileiras, as considerando suas irmãs de luta.

Imagem da Olimpíada

A ex-jogadora também aproveita para convidar a todos para acompanhar sua agenda no Brasil. A cubana participará de mais três datas da programação do Sesc Verão 2024.

Comente, siga, curta e compartilhe!

Aproveite para deixar suas opiniões e comentários sobre as vitórias e os desafios de Mireya Luis. Siga-nos nas redes sociais e receba mais notícias e curiosidades sobre o mundo do vôlei.

Agradecemos por sua visita e até a próxima!


Por /


广告位火热招租中