Lira promete votar mudanças nas dívidas dos Estados até junho: O que isso significa e como isso afet

广告位火热招租中
O Projeto de Lei que autoriza a venda de créditos da dívida dos Estados a empresas privadas pode ter sua votação pautada ainda neste semestre, segundo a Coluna do Estadão. O presidente da Câmara, Arthur Lira, teria prometido isso ao governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas. Além disso, Lira já demonstrou um gesto favorável a Tarcísio indicando Alex Manente (Cidadania-SP) para a relatoria do projeto. O projeto, de autoria do ex-senador José Serra, foi aprovado pelo Senado em 2017 e aguarda análise da Câmara desde então. Ele permite que União, Estados e municípios vendam a empresas privadas, com desconto, o direito sobre créditos que tenham a receber. A venda de créditos seria uma forma de disponibilizar receita para municípios e Estados sem gerar novos impostos e trazendo uma dívida consolidada que o Estado geralmente não consegue cobrar, segundo o relator Alex Manente. Mas o projeto encontrou resistência da esquerda, que rejeita a benesse aos bancos e sugere que Estados e municípios desenvolvam mecanismos próprios para cobrar a dívida. Política

A venda de créditos da dívida dos Estados pode salvar municípios e trazer receita para o Estado

A proposta de venda de créditos da dívida dos Estados a empresas privadas pode ser uma saída para municípios endividados e trazendo receita para o Estado. A venda desses créditos traria uma dívida consolidada que o Estado poderia não conseguir cobrar e ainda assim gerar receita para os municípios.

O gesto de Lira a Tarcísio é um sinal para as presidenciais de 2026?

O PP de Arthur Lira tenta fortalecer nomes da direita e da centro-direita para a corrida presidencial de 2026. Nesse jogo, Tarcísio é visto como cotado, ao lado do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil). O gesto de Lira a Tarcísio indicando Alex Manente para a relatoria do projeto pode ser visto como uma demonstração de apoio.

A esquerda resiste ao projeto por não querer benesse aos bancos

A resistência ao projeto vem principalmente da esquerda, que rejeita a benesse aos bancos e sugere que Estados e municípios desenvolvam mecanismos próprios para cobrar a dívida. A venda de créditos poderia ser vista como um benefício aos bancos e não às populações endividadas.

No entanto, a venda de créditos pode ser vista como uma solução temporária para trazer receita para os estados e municípios, que podem buscar outras formas de solucionar suas dívidas a longo prazo. É importante pesar os prós e contras antes de se tomar uma decisão final.

Não se sabe ainda qual será a posição da Câmara em relação à votação do projeto, mas é importante estar atento às movimentações políticas e suas possíveis implicações no futuro.

A postura de Lira ao apoiar o projeto pode trazer benefícios para seu partido em futuras eleições, mas é preciso avaliar se essa é a melhor solução para o país.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe suas opiniões sobre a venda de créditos da dívida dos Estados a empresas privadas.

Não se esqueça de nos seguir e curtir nossas redes sociais para se manter atualizado sobre esse e outros temas relevantes.

Agradecemos sua leitura e esperamos tê-lo informado sobre esse importante assunto.


Por /


广告位火热招租中